A Escala de Percepção de Esforço Subjetivo de Borg: Como utilizá-la para vantagem no esporte

O hype deste ano para treinamento de alta intensidade (HITT) é graças a programas como “Hit The Ground Running”, um programa de 10 semanas que usa a corrida como base para o treinamento. Esta é a última de uma longa linha de esforços para empurrar o HIIT como a melhor maneira de ficar mais apto, e obter melhores resultados no fitness. 

O problema é que não há muitas evidências que demonstrem que esse tipo de treinamento é melhor do que outros tipos de treinamento. Na verdade, ele pode fazer o contrário: pode causar sobretreinamento, que é quando o corpo é empurrado para além de seus limites e pode resultar em lesões, em sobrecarga. Além disso, nem sempre é a melhor maneira de atingir as metas de condicionamento físico.

 Neste artigo, explicamos os principais mitos sobre o treinamento baseado em esforço, desmascaramos e apresentamos os fatos reais sobre este método popular.

O treinamento on-line é menos eficaz do que o treinamento presencial.

A ideia de que o treinamento on-line não é tão eficaz quanto o treinamento presencial é um mito, pois esta maneira de treinar  já vinha em um grande crescimento e se sobre saiu ainda mais no período de pandemia. Embora haja alguma verdade na afirmação de que o treinamento on-line não é tão bom quanto o treinamento presencial, não é tão simples quanto isso. 

 O fato é que o treinamento on-line ainda pode ser eficaz, desde que você tenha um planejamento correto da sua maneira de atuar do “NEGÓCIO”. Isso é especialmente verdadeiro para atletas mais avançados, que podem colher os mesmos benefícios do treinamento on-line que o treinamento presencial. Ao mesmo tempo, a maioria de nós poderia se beneficiar de qualquer quantidade de treinamento.

A quantidade que precisamos não é necessariamente quanto tempo passamos no treino, na academia, mas, como esse treino está sendo controlado, dividido, organizado, ou seja, periodizado.

O treinamento baseado no esforço(PSE) é apenas para tarefas simples.

A verdade sobre o treinamento baseado em esforços é que ele pode ser usado para uma ampla gama de atividades, incluindo as mais complicadas. 

Esta é uma das razões pelas quais ele é tão popular. 

O fato de poder ser usado para quase tudo significa que você não tem que escolher entre atividades que lhe interessam ou para as quais tem tempo.  Mas a boa notícia é que você não precisa escolher entre usar um treinamento baseado no esforço e usar um método mais eficiente em termos de tempo que funcione melhor para você, para o seu cliente. Podendo  usar ambos, de maneiras diferentes e de maneira eficiente. Por exemplo, você pode usar primeiro o treinamento baseado no esforço e depois mudar para um método mais eficiente em termos de tempo, intensidade, carga.

O treinamento baseado no esforço(PSE) é usado para tarefas repetitivas.

O problema com este mito é que ele pressupõe que você pode medir o quão difíceis são os exercícios que você está fazendo. Mas não é assim que funciona o treinamento baseado no esforço. Ele se baseia em sua percepção subjetiva do esforço(PSE). Portanto, não há como dizer se você está fazendo o exercício com esforço máximo, intermediário ou leve.  Assim, por exemplo, uma pessoa pode encostar-se à parede quando faz exercícios sentada, mesmo que ela possa se afastar facilmente quando não faz o mesmo exercício em um espelho. É claro que a pessoa tem uma boa sensação no abdômen, mas não está claro se essa sensação é causada pelo trabalho ou se é apenas ele/ela a empurrar para trás contra a parede.

O treinamento baseado no esforço é usado para novas habilidades.

A verdade sobre o treinamento baseado e nesse tipo de percepção  de esforços é que ele pode ser usado para processos cognitivos, assim como para processos físicos. Isto significa que ele também pode ser usado para o aprendizado de novas habilidades. Embora haja alguma verdade na afirmação de que o treinamento baseado no esforço é bom para aprender novas habilidades, não é tão simples quanto isso. Isto porque o treinamento baseado no esforço é baseado em quão difícil você percebe uma atividade para ser. Isto pode variar quando você está aprendendo uma habilidade. 

 Por exemplo, se você está aprendendo a nadar, você pode sentir que está fazendo uma atividade que é muito difícil ou muito fácil, dependendo de quão bem você já sabe nadar. Isto pode afetar o quão difícil ou fácil você consegue deslizar, flutuar na água.

A última coisa sobre este mito é que ele aprimora  apenas as habilidades que podem ser melhoradas com o treinamento baseado em percepção de esforços (PSE) as habilidades físicas. 

Porém, isso não é verdade! 

Esse tipo de treinamento também pode ser usado para melhorar as habilidades mentais, como criatividade, disciplina e resolução de problemas, que são importantes para pessoas em todos os campos, incluindo negócios e educação.  Além disso, pode ser usado para treinar habilidades simples e complexas, dependendo de como você define as habilidades. Embora seja geralmente usado para habilidades físicas, também pode ser usado para habilidades cognitivas.

E a última coisa a se notar sobre este mito é que ele pressupõe que o treinamento baseado no esforço é usado somente por pessoas com baixos níveis de habilidade física. Mas este não é o caso de modo algum. O treinamento baseado no esforço é frequentemente usado por pessoas de todos os níveis de habilidade, incluindo atletas de elite. 

A diferença é que eles podem usá-lo para atingir níveis mais altos de desempenho. Isto porque o desempenho depende da habilidade física e da habilidade mental, portanto, o treinamento baseado na percepção de esforço (PSE) pode melhorar ambos os tipos de habilidade.  

Vale a pena reiterar que, embora o treinamento baseado na percepção de esforço nem sempre seja necessário e possa não servir para todos, por isso a importância de um Profissional de educação física para essa orientação, devido que vale a pena considerar  que se você deseja aproveitar ao máximo seu tempo de treinamento ou o tempo do seu cliente. Da próxima vez que estiver procurando uma maneira de controlar a intensidade da seção de treinamento estabeleça o controle da intensidade  através também da Escala de Borg passa a ser mais um parâmetro de avaliação e controle.

Categorias: Blog

0 comentários

Deixe uma resposta

Avatar placeholder

O seu endereço de email não será publicado.